A FRUTA


"O Senhor Deus fez brotar da terra toda a árvore agradável à vista, e boa para comida" Livro de Génesis.

Diz um velho provérbio : "Onde entra o sol, não entra o médico". Actualmente são tantas as investigações feitas a respeito do poder curativo da fruta, que poderíamos também dizer: "Onde se come fruta em abundância, não entram os medicamentos".

Características da fruta

Boa para comer

A primeira coisa que se nota nas frutas é o quanto elas nos são apetecíveis. Entre todos os alimentos que o ser humano pode comer e digerir, nenhum se torna tão delicioso e saudável como a fruta. 

O estímulo sensorial produzido pela fruta provoca uma série de reacções fisiológicas no organismo, que o preparam para uma melhor digestão: a mais evidente delas é a salivação que, por exemplo, se produz à simples vista de um limão. 

A fruta, insubstituível

A maioria dos seres vivos sintetiza a sua própria vitamina C. Apenas alguns poucos, entre os quais se contam os seres humanos necessitam de a ingerir com os alimentos.

Esta necessidade imperiosa, que o nosso organismo tem, de vitamina C, só pode ser satisfeita de um modo natural consumindo fruta fresca. Embora também algumas hortaliças contenham vitamina C, a principal fonte alimentar desta vitamina é a fruta.

Nem a carne, nem o leite, nem os ovos, nem os cereais, nem as leguminosas contém esta importante vitamina. Pode-se viver em perfeita saúde prescindindo de qualquer destes alimentos; mas, sem fruta ou hortaliças frescas, é impossível ter saúde: sobrevém a doença do escorbuto e finalmente a morte.

Sabemos hoje que, além de vitaminas e minerais, as frutas contém centenas de substâncias chamadas elementos fitoquímicos, que desempenham importantes funções preventivas e curativas.

Quando lemos a composição de uma fruta, podemos pensar que tenha um escasso valor nutritivo, pelo facto de os seus nutrientes se encontrarem diluídos e, portanto, em pequena proporção. No entanto, podem-se ingerir quantidades muito maiores de fruta do que de outros alimentos mais concentrados como a carne, os ovos, o queijo ou as leguminosas.

Quando e como se deve comer a fruta ?

Prazer para os sentidos, alimento, e até medicamento, a fruta pode ser comida em qualquer momento. Todas as frutas, excepto os citrinos, combinam muito bem com os cereais em qualquer das suas formas.

É preferível incluir a fruta no pequeno almoço e/ou no jantar como parte fundamental do menu, a relegá-la para o papel de mero complemento de uma copiosa refeição.

A fruta estimula os cinco sentidos

 
 
Nenhum alimento estimula tanto os sentidos como uma peça de fruta. Quer se encontre suspeita da própria árvore no campo quer oferecida numa fruteira, qualquer fruta parece convidar-nos a comê-la.

Vista

A simples visão de uma fruta produz atracção e provoca aumento das secreções digestivas, a começar pela saliva.

Ouvido

O estalejante ruído das frutas quando se partem também contribui para proporcionar uma sensação agradável.

Olfacto

Os aromas da fruta - sempre agradáveis mas cada um diferente - dependem de certas substâncias químicas voláteis presentes na casca e na polpa.

Paladar

Morder uma peça de fruta produz uma sensação de frescura e doçura resultante do estímulo de milhares de receptores gustativos, tácteis e térmicos na língua e na boca.

Tacto

Quer quando lhe tocamos quer quando a levamos aos lábios, a fruta estimula agradavelmente o sentido do tacto.

Fonte: A Saúde pela Alimentação, vol. 1, Dr. Jorge Pamplona Roger 

 
A fruta é a melhor fonte de vitaminas, minerais e fibras, além de ser a mais natural, consequentemente a mais saudável. Comer fruta torna-se um acto agradável, produzindo uma sensação de bem-estar.

Artigos RELACIONADOS

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Mensagens populares