Os ALIMENTOS para o ser humano

O SER HUMANO é capaz de ingerir quase tudo para se alimentar, desde secreções mamárias (leite) até cristais minerais (sal comum), passando por frutos, flores, sementes, caules, folhas, raízes, algas, fungos, ovos de peixes ou de aves, e corpos mortos de diversos animais.

Todos estes produtos, mais ou menos preparados, dão lugar aos milhares de alimentos diferentes que se encontram no comércio. 

O facto de podermos comer toda esta variedade de alimentos significará que todos eles são igualmente apropriados para o consumo humano ? Existirá uma alimentação especificamente adequada aos humanos que, além de nutrir, conserve a saúde e evite as doenças ?

Alimentos especialmente recomendados

E que acontece com o ser humano ? Se o seu aparecimento no planeta Terra tivesse sido uma consequência acidental e imprevista do acaso evolutivo, então não deveria existir uma alimentação particularmente adequada para ele; ter-se-ia simplesmente adaptado gradualmente aos alimentos disponíveis e, quaisquer que estes fossem, acabaria por funcionar bem e gozar uma boa saúde.

Porém, se o ser humano foi criado por uma Inteligência superior, de acordo com um plano e com um propósito, deverá haver também determinados alimentos criados especialmente para o seu bom funcionamento fisiológico.Muitos crentes encontram a resposta para estas interrogações nos primeiros capítulos do Génesis, onde é dito que as ervas que dão semente, ou seja os cereais e, em sentido lato, também os legumes, os frutos das árvores, e as verduras e hortaliças que depois foram acrescentadas, constituem a dieta apropriada para a espécie humana.

Adaptação sim, mas sem prescindir dos alimentos necessários

O ser humano possui uma grande capacidade de adaptação fisiológica a diversos tipos de alimentação. Apesar disso, a ciência da nutrição mostra-nos que existem certos alimentos dos quais não se pode prescindir, como sejam as frutas e as verduras e hortaliças frescas. Uma qualquer dieta não pode proporcionar boa saúde. Por muito que nos adaptemos a certos alimentos que não são os ideais, como acontece com os de origem animal, continuamos a precisar dos vegetais que são precisamente os mais saudáveis e apropriados. Assim, por exemplo, os esquimós do Alasca, que se adaptaram a uma dieta rica em peixe, sofrem de numerosas doenças crónicas devido à sua escassa ingestão de fruta e hortaliças.

Os alimentos vegetais, fonte de saúde e de poder curativo


Tem-se verificado que nas frutas, cereais, legumes e hortaliças existem, além de nutrientes como em qualquer outro alimento, dois tipos de compostos que não se encontram nos alimentos de origem animal:

- antioxidantes (certos minerais e vitaminas)

- elementos fitoquímicos de acção curativa.

Os alimentos e a saúde

A saúde depende principalmente da soma das numerosas "pequenas" decisões que cada dia tomamos, isto é, do nosso "estilo de vida".

Em geral, as decisões que mais afectam a saúde são aquelas que têm a ver com os alimentos que se vão ingerir. Tantas são as opções à disposição do consumidor, que continuamente temos de decidir que alimento escolher e qual o modo da sua preparação.

Informação + escolhas correctas = SAÚDE

Quanto mais completa tiver sido a informação conseguida acerca dos alimentos disponíveis, tanto mais fácil será escolher os mais adequados para a saúde.

Alimentos prejudiciais, alimentos benéficos

Durante toda a sua vida, o ser humano irá necessitar de alimentos. Todos lhe fornecerão nutrientes e energia. No entanto, alguns poderão causar-lhe transtornos e doenças, enquanto que outros, os mais apropriados, lhe proporcionarão saúde e poder curativo. Existem, pois, alimentos potencialmente nocivos e, naturalmente, alimentos benéficos.

Os alimentos podem prevenir e curar as doenças, mas também as podem causar. Por isso, a melhor dieta não é a que inclui "um pouco de tudo", mas sim a que evita o que é nocivo e usa com moderação o que é conveniente.  

Alimentos de origem animal dotados de poder curativo

Embora os alimentos de origem vegetal sejam aqueles que têm mais poder curativo, também alguns de origem animal se evidenciam pelas suas acções preventivas e curativas:

Mel e produtos da colmeia

O mel tem sido chamado a doce medicina. A geleia real, o pólen e os propóleos utilizam-se pela sua acção tonificante geral do organismo.

Iogurte

Devido às bactérias que contém, e não tanto ao leite em si mesmo, o iogurte faz aumentar as defesas imunitárias.

Peixe

A sua gordura ou óleo utiliza-se pela sua acção anti-inflamatória e hipolipemiante usado na prevenção e tratamento do raquitismo, pela sua riqueza em vitamina D, embora actualmente se prefiram os preparados farmacêuticos desta vitamina.

Fígado de bovino

O fígado do gado bovino e de outros mamíferos foi utilizado como tratamento de diferentes tipos de anemia, pela sua riqueza em ferro e vitamina B12. Actualmente preferem-se os preparados farmacêuticos, devido, entre outros motivos, ao elevado nível de contaminação química que as vísceras dos animais apresentam. 

Fonte: (A Saúde pela Alimentação, vol. 1, Dr. Jorge Pamplona Roger)


Artigos RELACIONADOS

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Mensagens populares