O mundo está a ENGORDAR

PORQUÊ?

É PRECISO AGIR. A Organização Mundial de Saúde considera alarmantes os níveis de excesso de peso resultantes da má alimentação e da inactividade física na Europa. De acordo com os últimos dados publicados, Portugal está entre os países europeus com piores resultados.


ALERTA NAS ESTATÍSTICAS

 
Fonte: Organização Mundial de Saúde
BALANÇA FAMILIAR
Quando há casos de obesidade na família, o risco de ser obeso aumenta 30 a 60 por cento. A propensão genética não é determinante. O que mais pesa são os hábitos alimentares e o estilo de vida, que, em geral, são comuns à família.
CONSEQUÊNCIAS DA OBESIDADE
Os obesos têm três vezes mais probabilidades de vir a sofrer de doenças coronárias do que quem apresenta peso normal. Se, além da obesidade, tiverem hipertensão, diabetes e níveis elevados de colesterol, vêem aumentar o risco de acidentes vasculares cerebrais.
AMANTES DO SOFÁ
64% dos portugueses nunca fazem exercício físico ou desporto, revela a sondagem Eurobarómetro publicada em março de 2014. A inactividade física contribui para o aumento do peso e favorece a obesidade, as doenças cardiovasculares e a diabetes.

PONTO DA SITUAÇÃO
·         Um bilião da população mundial tem excesso de peso.
·         Aos 7 anos, 17% dos rapazes e 13 das raparigas sofrem de obesidade.

OUTROS NÚMEROS
·         76% das crianças entre os 6 e os 9 anos bebem refrigerantes quatro ou mais vezes por semana.
·         Adopção de estilos de vida saudáveis e o controlo do peso permitem reduzir em 58% a probabilidade de surgir diabetes tipo 2.
·         30% de todos os cancros têm causas ligadas à alimentação.
  
PREVENIR DE PEQUENINO

PARA QUE O PONTEIRO NÃO SUBA DEMAIS

1.     Ingerir mais calorias do que as que gasta conduz ao excesso de peso e à obesidade, que favorecem o aparecimento doenças crónicas, como os problemas coronários ou pulmonares, diabetes de tipo 2, hipertensão arterial e alguns tipos de cancro, como do ovário, mama e cólon. Estão também na origem de morte prematura. Já os hábitos de vida sãos acrescentam anos e qualidade à vida.
2.    Os hábitos alimentares adquirem-se nos primeiros anos de vida e os pais têm um papel fundamental. Não dê leite e papa em excesso aos bebés. Na infância e na adolescência, não insista para que ingiram grandes porções. Não salte refeições e explique aos seus filhos que não devem fazê-lo.
3.    Crie o hábito de comer legumes e fruta. Durante as aulas, incentive os jovens a comer na cantina. As suas ementas são preferíveis a uma refeição rápida no bar.
4.    Estudos demonstram que as crianças seleccionam os alimentos dentro do que têm disponível, pelo que o importante é que a oferta seja variada e de boa qualidade.

CONTROLO DO PESO E DA SAÚDE

·         Prepare os pratos com a quantidade de comida suficiente e leve-os para a mesa. Se não houver comida à vista, a tentação de repetir é menor.
·         Ajude a criança a comer devagar. Contar 20 mastigações a cada garfada pode ser um bom começo.
·         Incentive a criança a escolher e praticar uma actividade física de que goste.
·         Participe nas brincadeiras das crianças: faz bem ao corpo e à mente.

A EVITAR

·         Não use a comida como prémio de bom comportamento da criança.
·         O ambiente agitado prejudica a refeição. Evite discussões ou raspanetes à mesa e reserve tempo suficiente para comer com calma.
·         Se a criança não gosta de desporto, não a force a escolher um. Aposte noutras formas de movimento, como brincadeiras ao ar livre.
Fonte: Texto e imagem extraídos D´Aqui



Artigos RELACIONADOS

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Mensagens populares