Grupos Alimentares: # Gorduras e Doces

(Imagem extraída D´Aqui)

De elevado poder energético e conteúdo nutritivo pouco variado, convém moderar o seu consumo, pois o seu abuso pode desequilibrar a alimentação.








Alimentos gordos


Fazem parte deste grupo alimentos de origem variada e com diversas formas de apresentação, que se caracterizam pelo seu elevado ou até excessivo número de gorduras e pela sua reduzida ou quase absoluta ausência de outros nutrientes essenciais. Como são produtos com um potencial energético muito alto, o seu consumo, como complemento da alimentação, deve ser moderado e controlado. De qualquer forma, não é necessário eliminar totalmente as gorduras e os doces da nossa alimentação, pois a sua ingestão, em pequenas quantidades, favorece a assimilação das vitaminas lipossolúveis presentes noutros alimentos.

Óleos. Os óleos comestíveis são gorduras de origem vegetal de consistência líquida à temperatura ambiente, obtidas a partir dos frutos ou sementes de plantas oleosas, quer através da prensagem (como o azeite de oliveira virgem) ou após o seu tratamento com dissolventes orgânicos e consequente filtragem (óleos refinados). Existem óleos de origem muito variada, embora seja necessário fazer uma distinção, fundamentalmente, entre o azeite de oliveira, rico em ácidos gordos monoinsaturados (ácido oleico) e, ao mesmo tempo, escasso em ácidos gordos saturados, e os óleos de sementes, ricos em ácidos gordos polinsaturados e com reduzidas quantidades de ácidos gordos saturados, como o milho, a soja, o girassol, o linho, o sésamo e o trigo.



Margarinas. São gorduras emulsionadas, que apresentam, com a adição de água, um estado semi-sólido, podendo ser fabricadas com gorduras exclusivamente vegetais (margarinas vegetais) ou através da mistura de gorduras vegetais e animais (margarinas mistas). No primeiro caso, não contêm colesterol e a sua percentagem de ácidos saturados é reduzida, enquanto que, no segundo caso, têm colesterol e proporções mais elevadas de ácidos gordos saturados. Por outro lado, as margarinas contêm vitaminas A, D e E, que se adicionam ao produto, por vezes, no processo de fabricação, juntamente com outros aditivos que lhe dão um sabor e cor específicos.


Manteiga, creme de leite e natas. São produtos obtidos a partir da gordura do leite, sendo assim derivados lácteos. Contudo, convém incluí-los neste grupo porque a sua principal característica nutritiva corresponde ao seu conteúdo em gorduras e ao seu muito reduzido ou nulo conteúdo noutros nutrientes presentes no leite. O creme de leite, de consistência líquida, obtém-se a partir da emulsão e da homogeneização da gordura do leite, correspondendo cerca de 30% do seu peso a gorduras, com quantidades reduzidas de hidratos de carbono e proteínas. A nata é elaborada ao bater-se o creme de leite até este alcançar uma mistura espumosa, tendo por isso a mesma composição nutricional deste.

A manteiga, de consistência sólida, mas mole, é o resultado da concentração da gordura do leite e do seu posterior amadurecimento em moldes, correspondendo cerca de 80% do seu peso a gorduras, a uma elevada percentagem de ácidos gordos saturados e a um significativo conteúdo de colesterol.

Gorduras de origem animal. São por exemplo, o toucinho e a banha, de consistência sólida a uma temperatura ambiente, compostos quase na sua totalidade por gorduras e com um elevado nível de ácidos gordos saturados.

Frutos secos gordos. São frutos muito especiais, cuja composição nutricional, radicalmente distinta dos frutos frescos, justifica a sua inclusão neste grupo, pois são pobres em água e muito ricos em gorduras (em média, não menos de 50%). Os mais consumidos, para nomear alguns, são as nozes, as avelãs, as castanhas e os amendoins. Estes produtos, ao contrário de outros integrados neste grupo, apresentam igualmente proteínas (cerca de 20%), hidratos de carbono (5%), minerais (cálcio, ferro) e vitaminas (C, B1, B3).

Alimentos doces

Incluem-se neste grupo os produtos caracterizados pelo predomínio ou pela quase exclusividade de um tipo de nutrientes, neste caso os hidratos de carbono, com um elevado poder energético. Trata-se, concretamente, de hidratos de carbono simples, ou açúcares, de rápida assimilação, cujo consumo na alimentação habitual é recomendável que seja moderado, pois nem sequer têm a vitamina B1, necessária para o metabolismo dos próprios hidratos de carbono. Açúcar e doces. O açúcar comum, obtido da cana-de-açúcar ou da beterraba, corresponde à sacarose, um dissacárido de sabor tipicamente doce. O açúcar refinado, conhecido como açúcar branco, é composto praticamente na sua totalidade por sacarose. O açúcar menos refinado, açúcar amarelo, contém outros nutrientes. Mel. É um produto natural, fabricado pelas abelhas a partir do néctar das flores. O seu aroma, sabor e cor dependem dos néctares utilizados pelos insectos na sua elaboração. Embora tenha fama de produto nutritivo, e até com fins medicinais, com efeito, o mel é composto quase exclusivamente por açúcares, glicose e frutose, com reduzidas proporções de outros nutrientes, sendo o seu único valor o facto de ser uma fonte de calorias.

Marmeladas. As marmeladas são frutos conservados através da adição de açúcar. Dado que os frutos são previamente cozidos, perdendo assim toda a sua riqueza em vitaminas ou minerais, o seu valor nutritivo centra-se na predominância de hidratos de carbono simples.  

Texto extraído D´Aqui



Artigos RELACIONADOS

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Mensagens populares