O lado AMARGO do açúcar


O açúcar oculto
 


O açúcar visível que se consome acrescentando-o aos alimentos para os adoçar é apenas uma pequena parte do total que se encontra escondido em diversos tipos de alimentos processados: refrescos, gelados, bolos, iogurtes de frutas, chocolates, conservas, etc.
3 bolachas = 10 g de açúcar
1 barra de chocolate de 50 g = 35 g de açúcar
1 iogurte açúcarado (125 g) = 30 g de açúcar

Poucos produtos alimentares têm sido, como o açúcar, objecto de uma polémica tão viva. Para alguns, o crescente consumo de açúcar é o responsável da maior parte dos males que afligem a humanidade, desde à cárie até às afecções cardíacas e à diabetes.

Será o açúcar realmente nocivo ?

Onde está a verdade ? O açúcar é nocivo ou benéfico ?

O açúcar não é nocivo pelo que contém...

O açúcar é em si mesmo uma substância natural que faz parte de muitos alimentos saudáveis como as frutas e as hortaliças de que extrai. No nosso organismo cumpre a função de proporcionar energia para o funcionamento de todas as células. Portanto não se pode dizer que o açúcar, em si mesmo, seja nocivo para a saúde.

...mas sim por aquilo que ele não contém e pela maneira como é usado

Os problemas que o açúcar apresenta para a saúde, não são pois causados pela sua própria composição, mas antes:

1) Pelo que não nos oferece; O mal do açúcar não é o que contém (sacarose), mas o que não contém: nem vitaminas, nem minerais, nem fibra, nem antioxidantes, nem nenhuma das substâncias que existem nos vegetais e que exercem um efeito protector. Por isso se diz que as suas calorias são "vazias."

2) Pela quantidade em que é consumido: Calcula-se que a média nos países desenvolvidos oscila entre 80 e 100 gramas diários por pessoa. Esta é uma quantidade excessiva, muito superior aos 50 gramas que se recomenda.

3) Pelos produtos com os quais se associa: Geralmente o açúcar é acrescentado a produtos pouco saudáveis, como os bolos, gelados, alimentos refinados e processados, e bebidas artificiais.

O açúcar engorda ?

Cada grama de qualquer tipo de açúcar proporciona umas 4 calorias, quando é metabolizado ou queimado nas nossas células. Mas quando o açúcar é ingerido em excesso, acima das necessidades energéticas do organismo, uma parte dele transforma-se em gordura no fígado.

Quando o açúcar se ingere juntamente com gorduras, como acontece nos bolos e chocolates, e não se queima esse excesso de calorias, produz-se uma aumento ainda maior dos depósitos de gordura corporais.

Tipos de AÇÚCAR

1) Açúcar comum, também chamado açúcar branco, refinado ou granulado.

2)Açúcar em pó, também conhecido como açúcar glacé.

3) Açúcar invertido, apresenta-se sob a forma de xarope, e é formado por uma mistura em partes iguais de glucose e frutose. O mel é composto basicamente por açúcar invertido.

4) Açúcar do ácer, composto por sacarose, frutose e glucose e uma pequena proporção de minerais e vitaminas. À semelhança do xarope de ácer, é muito rico em zinco e outros oligoelementos.

5) Açúcar escuro, o autêntico açúcar escuro é o chamado açúcar cru, obtido por cristalização do sumo da cana-de-açúcar, e que então se pode qualificar apropriadamente de açúcar integral.

6) Glucose, encontra-se em muitas frutas, especialmente nas uvas.

7) Frutose,  é um dos tipos de açúcar que se encontram de forma natural nas frutas.

8) Lactose, é o açúcar que se encontra de forma natural no leite.

9) Maltose, obtém a partir do amido, quando é decomposto pelas enzimas que se encontram nas leveduras.

O lado amargo do açúcar

Pode produzir doenças ?

Mais açúcar e menos fibra = DOENÇA

Embora o açúcar não tenha por sim mesmo nenhum efeito tóxico ou cancerígeno, existem investigações que relacionam o seu consumo em grandes quantidades (mais de 50 g por dia) com diversas doenças crónicas. É possível que, em muitos casos, o efeito nocivo do açúcar se deva principalmente à falta de fibra e de certas vitaminas e minerais. Estes nutrientes ficam afastados da dieta quando se ingere muito açúcar ou produtos açucarados.

Neste quadro mostram-se algumas doenças relacionadas com um consumo elevado de açúcar e baixo de fibra e outros nutrientes.

Cálculos biliares

Num seguimento a longo prazo realizado no Instituto Nacional de Saúde Pública de Bilthoven (Holanda), viu-se que a ingestão de açúcar se associa ao risco de sofrer de colelitíase.

Colite granulomatosa (doença de Crohn)

A combinação entre consumo de muito açúcar e de pouca fibra é um dos factores causadores desta doença.

Úlcera gastroduodenal

O consumo de açúcar, juntamente com uma alimentação refinada e pobre em fibra, acentua o risco de úlcera gastroduodenal.

Diabetes

Não existem provas de que um consumo abundante de açúcar seja causa de diabetes, sem bem que, evidentemente, a piora e agrava.

Fragilidade óssea

Uma alimentação rica em gordura e em açúcar reduz as reservas de cálcio do organismo, e faz que os ossos se tornem frágeis e sofram mais fracturas, segundo um estudo realizado na Universidade do Sul da Califórnia, em Los Angeles (E.U.A).

Cancro do estómago

Uma investigação realizada em Marselha (França) mostra que o açúcar, a gordura saturada e o cálcio aumentam o risco de contrair cancro do estômago, enquanto as verduras cruas, as frutas frescas e o óleo vegetal o reduzem.

Cancro do cólon

O consumo de açúcar entre as refeições estimula a proliferação das células epiteliais do intestino e favorece a formação de cancros, segundo o Instituto de Investigação Farmacológica Mario Negri de Milão (Itália).

Atraso no crescimento fetal

Na Universidade de Nova Jersey (E.U.A), provou-se que as adolescentes grávidas que consomem mais açúcar têm maior probabilidade de dar à luz crianças com pouco peso para a sua idade gestacional.

Fonte: A Saúde pela Alimentação, volume 1 (Dr. Jorge Pamplona Roger) 




Artigos RELACIONADOS

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Mensagens populares