Atividade Física e Envelhecimento

Sabia que nos últimos anos se tem verificado uma redução na proporção de jovens e um aumento da proporção da população idosa, consubstanciando-se estas tendências demográficas num continuado envelhecimento da nossa população? E que a Organização Mundial de Saúde (OMS) aponta a adopção de um estilo de vida activo como uma das mais importantes soluções para a minimização das consequências socioeconómicas negativas resultantes do processo de envelhecimento ?



RITUAL: Mantenha um padrão regular de Actividade Física em todas as fases da vida, reduzindo para metade o impacto negativo que o envelhecimento poderia ter na sua capacidade cardiovascular caso se mantivesse sedentário.

Podemos classificar como bem sucedida a luta que o Homem tem travado contra as causas que mais frequentemente lhe limitam a longevidade. Não obstante o elevado número de mortes associadas (em grande parte) ao actual estilo de vida – como as doenças cérebro-vasculares, as doenças cardiovasculares e as doenças oncológicas –, é um facto que o controlo destas patologias (e de outras particularmente deletérias no passado, como é o caso das doenças infecto-contagiosas) resultou no aumento da esperança média de vida para níveis nunca antes conhecidos na história da humanidade.


Esta conquista representa dois grandes desafios a nível social e económico para as entidades governamentais: por um lado, a promoção da qualidade de vida dos adultos mais velhos - extraordinariamente afectada após o súbito abandono de uma vida ocupada, interativa e produtiva; e por outro, a redução dos gastos inerentes ao prolongamento do tempo de reforma e aos maiores cuidados que esta população necessita na área da saúde.


A Atividade Física é inquestionavelmente uma importante mais-valia para o bem estar físico, social e mental durante todo o curso da vida, e em idades mais avançadas este facto não é exceção. De facto, a adoção de um estilo de vida activo permite a manutenção de bons níveis de aptidão cardiovascular, capacidade funcional, composição corporal (incluindo a melhoria da densidade mineral óssea), mobilidade articular, autonomia, capacidade cognitiva, vitalidade e saúde mental, favorecendo tanto a nossa qualidade de vida como a situação socioeconómica do país. Envelhecer é natural, mas “faça-o” com qualidade!

A CONSIDERAR:
  • Efetue 2-3 sessões de treino com cargas adicionais (também chamado treino de força) por semana, com uma duração de 30-45 minutos. A realização de 5-10 exercícios de força (progrida dos maiores grupos musculares para os menores), com 1-2 séries de 10-15 repetições cada é fundamental na manutenção da aptidão funcional, independência e prevenção de osteoporose.
  • Procure aprender a técnica correcta dos exercícios (consultar um especialista em Exercício e Saúde é importante), executando-os sempre de forma lenta e controlada e sem bloquear a respiração.
  • Realize regularmente exercícios que aumentem a aptidão cardiovascular - como a marcha rápida, o ciclismo, a natação e a hidroginástica – e também exercícios que promovam o equilíbrio, como a dança e a hidroginástica. Dedicar 30 minutos diários para este tipo de actividades é uma das principais recomendações para os adultos mais velhos, embora importantes benefícios sejam conseguidos com práticas menos regulares.
  • Recorra a actividades laborais e domésticas para aumentar os seus níveis de Atividade Física e promover a saúde. Ocupações como fazer compras, brincar com os netos e limpar a casa ou jardim são fundamentais, mesmo que realizadas em pequenos períodos de 10-15 minutos.
  • Não dispense os exercícios de flexibilidade! Uma amplitude de movimento adequada em todas as articulações do corpo é adequada para a manutenção de um correcta postura corporal, equilíbrio, agilidade e prevenção de lesões. Para além dos tradicionais exercícios que pode fazer no conforto da sua casa ou na sala de exercício do seu ginásio, outras interessantes opções – como as aulas de Yoga e Tai-chi - não devem ser descuradas.
  • Não dispense um bom aquecimento e retorno à calma nas suas sessões de exercício. Realizar 5-10 minutos de exercício com menor intensidade numa fase inicial da sessão - visando um aumento da temperatura e da circulação sanguínea nos músculos esqueléticos e no coração - e dedicar 10-15 minutos na sua fase final - para repor o oxigénio em dívida e para alongar os músculos exercitados -, são fundamentais.
  • Consulte o seu médico antes de iniciar a prática de Atividades Físicas com maior intensidade. O diagnóstico deste especialista é fundamental para uma posterior prescrição de exercício individualizada, eficiente e segura.


Artigos RELACIONADOS

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Mensagens populares